Alunos de Psicologia e Audiovisual da FASB fazem análise do filme Cisne Negro

Os cursos de Psicologia e Produção Audiovisual da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB) promoveram uma sessão do filme Cisne Negro, com o intuito de realizar uma análise fílmica interdisciplinar. Os estudantes assistiram, na quinta-feira (03), a trama que conta a história da bailarina Nina. Obcecada pela dança, ela se vê afetada pela concorrência da novata Lily, na busca por um importante papel na produção “O Lago dos Cisnes”. Com o acirramento da disputa, o lado desconhecido de Nina vem à tona e dá lugar a uma amizade distorcida e complexa. Na sexta-feira (04) os alunos se encontraram no auditório da FASB, com os professores Vandré Vilela e André Oliveira, para analisar os aspectos psicológicos e os recursos audiovisuais utilizados na apresentação da história.

“Utilizar os recursos do cinema como meio de difundir conhecimentos é interessante não apenas para a Psicologia e o Audiovisual, mas para todos os cursos. Quando estamos só nas aulas, nos concentramos nos conhecimentos específicos de cada curso. E alguns conhecimentos de outros cursos, que se não tivermos esse tipo de atividade, que permita dialogar na questão interdisciplinar, não teremos a oportunidade de partilhar. Usar uma produção artística nos dá a chance de trabalhar tantos temas diferentes, relacionados com a saúde mental, a situação atual que vivenciamos e a produção por trás da história contada, então é enriquecedor para todos os participantes “, disse o professor da FASB e psicólogo André Oliveira.

O coordenador do curso de Produção Audiovisual, Vandré Vilela, fez uma síntese dos aprendizados alcançados por meio do filme e tratou também do objetivo da atividade. “O filme é um drama psicológico, que traz muitas abordagens da psicologia. A função da análise fílmica foi fazer um cruzamento entre essas duas disciplinas, para mostrar aos estudantes que qualquer produção requer um estudo apurado, principalmente quando tem que interagir com outras áreas do conhecimento. O filme Cisne Negro é um produto muito bem feito. Os atores também tiveram que mergulhar em outros aprendizados. A Natalie Portman, por exemplo, teve que aprender balé e conhecer sobre outros temas tratados no filme, para poder dar conta do recado”, explicou.

Matheus Oliveira Cerqueira, estudante de Produção Audiovisual relatou o envolvimento dos espectadores com os personagens, potencializado pelos recursos técnicos. “O cinema tem a missão de captar todos os sentimentos de cada história e repassar ao público. O filme Cisne Negro faz isso de uma forma muito bem elaborada. Os sentimentos da protagonista, mesmo nos momentos perturbadores, são bem apresentados. Ao longo do filme o espectador vai se envolvendo com a trama, tem o surto junto com Nina e muitos detalhes, que vão ocorrendo, as pessoas só percebem depois, e tudo ganha um sentido maior. O roteiro, a fotografia, os elementos em cena, cortes, figurinos, cada coisa tinha uma razão para estar lá”, pontuou.

 

 Araticum Comunicação – 09/04/2019

Publicidade